Category Archives: Viagens

De Londres a Bath

De Londres a Bath - lembranças

mais dicas de como chegar ao Stonehenge

Algumas excursões oferecem passeios de um dia em Bath a partir de Londres, mas elas normalmente matam três coelhos de uma só vez: Windsor, Stonehenge e Bath, ou Salisbury, Stonehenge e Bath. São convenientes para quem não quer esquentar a cabeça, ou para quem não tem muito tempo e deseja conhecer um pouco do interior da Inglaterra. Mas é aquele corre-corre, é preciso passar diversas horas no ônibus, você não pode escolher quanto tempo ficar em cada lugar, além de todos os outros inconvenientes de se viajar em excursão.

Por isso, se você vai passar uma temporada em Londres e quer conhecer esta linda cidade com tranquilidade, sugiro que faça o passeio por conta própria. É super fácil ir de trem: você sai da estação de Paddington (aquela onde chega o Heathrow Express) e em uma hora e meia está em Bath, sem baldeação. Apesar de as passagens custarem a partir de £9,50, para você pegar o trem que sai de Londres entre 8:00 e 8:30, para poder aproveitar bem o dia, você pagará em torno de £50,00 (ida e volta). São até 4 saídas por hora e as passagens podem ser adquiridas com até 12 semanas de antecedência, no site da First Great Western.

 O que fazer em Bath

Bath é uma cidade considerada Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO e não faltam locais interessantes para conhecer. O conjunto arquitetônico da cidade, como um todo, impressiona pela preservação e beleza. Parece que estamos no século XVIII! A estação ferroviária (marcada com azul no mapa) fica bem perto dos principais pontos turísticos de Bath, veja abaixo:

<

Principais pontos turísticos:

1. Termas Romanas (Roman Baths) – As famosas termas, construída pelos romanos para usufruírem de uma fonte de água quente local,  são extremamente bem preservadas. O horário de visitação varia conforme a época do ano, veja aqui. Ingresso para adulto £12,75.

2. Pump Room –  Construído em 1795, é onde as pessoas se reuniam após os banhos para beber da água termal. Hoje funciona como restaurante, e ainda pode-se experimentar a água.

3. Abadia de Bath – Linda abadia em um local que tem sido ponto de oração para os cristãos há mais de mil anos. Construída em 1499, foi completamente reformada durante a era vitoriana pelo famoso arquiteto Sir George Gilbert Scott. Aberta ao público às segundas-feiras, de 9:30 às 18:00, de terça a sábado de 9:00 às 18:00 e, aos domingos, de 13:00 às 14:30 e das 16:30 às 17:30. Ingresso em forma de doação de £2,50.

4. Teatro Real – um dos teatros mais antigos do Reino Unido ainda em funcionamento, o Royal Theatre foi construído em 1805 e totalmente restaurado em 2010.

5. Jane Austen Centre – exposição celebrando a vida da famosa escritora britânica, que morou na cidade durante alguns anos de sua vida.

6. The Circus – conjunto de residências dispostas em um círculo, que é uma das marcas registradas da cidade e que contribuiu para que Bath fosse declarada Patrimônio da Humanidade.

7. Assembly Rooms – prédio histórico da cidade que hoje abriga o Fashion Museum. Aberto diariamente de 10:30 às 16:00, até às 17:00 entre março e outubro. Ingresso para adultos  £7,75

8. Royal Crescent – outro lindo conjunto de casas, este em forma de semi-círculo, projetadas pelo filho do arquiteto que idealizou o The Circus, John Wood, the younger.

9. Pulteney Bridge – ponte sobre o Rio Avon,  comparada à ponte Vecchio de Florença por ser uma das mais belas do mundo.

De Londres a Bath - Royal Crescent

©VisitBritain/ Joanna Henderson

O trajeto por estes pontos turísticos pode ser feito tranquilamente à pé, já que da estação ferroviária ao Royal Crescent são menos de 3 km. Como opção, no entanto, há um ônibus do tipo “Hop-on hop-off” (daqueles que você compra o bilhete para um dia inteiro e pode entrar e sair do ônibus quantas vezes quiser), que faz todo o percurso. O passe para 24 horas custa £13,00. Veja informações aqui. Com o ônibus, é possível também ir à parte mais alta da cidade, onde se tem uma vista maravilhosa do conjunto arquitetônico da cidade.

Próximo a Bath

Querendo continuar o passeio antes de voltar a Londres, você pode visitar Stonehenge e a linda vila de Lacock neste tour, que é feito em pequenos grupos a partir de Bath. O tour sai de Bath às 13:00 e retorna às 17:30. Preço para adultos £17,50. Mais informações neste website.

Isso para quem quer matar três coelhos…

ver mais…

Anúncios

Além das batatas fritas e dos waffles com açúcar, a Bélgica tem também algumas das melhores cervejas do mundo. Não é de se espantar que o país seja também a casa do bar que possui o recorde de maior opções da bebida num cardápio. Desde 2004, o Délirium Café, no centro de Bruxelas, ostenta o título. Ao todo são 2.491 marcas. Só de belgas, são 1.416, incluindo as famosas trapistes, feita por monges. É literalmente cerveja para todos os gostos, num bar que à primeira vista pode não agradar aos clientes mais exigentes, pelo atendimento um tanto quanto improvisado, mas que apreciador de cerveja nenhum pode botar defeito.

O bar, que fica próximo a Grand-Place e ao Museu Real de História, parece saído de um conto medieval. Do lado de fora, a porta escondida pelas mesas que ficam na pequena calçada nem chama tanto a atenção – a não ser pelas plaquinhas com o elefante rosa, símbolo da cerveja que dá nome ao bar. Lá dentro, no entanto, o visual é completamente diferente. O ambiente é escuro, todo decorado com placas e garrafas de cervejas do mundo inteiro, inclusive algumas brasileiras.

Para quem espera um lugar calmo, onde o atendimento é perfeito, talvez este não seja o seu lugar. O subsolo fica geralmente lotado, e as mesas feitas com grandes tonéis de madeira são disputadas, assim como o cardápio. Talvez para economizar papel, existe apenas um cardápio completo, que fica circulando entre as muitas mesas do salão. A enorme pasta traz a descrição de cada cerveja, por isso é preciso ficar atento ao local onde está o cardápio e, se possível, escolher pelo menos as primeiras marcas que você vai querer beber.

Se não conseguir o cardápio, tente pedir alguma sugestão ao barman. Isso mesmo, não tem garçom. Cada vez que você quiser uma cerveja ou aperitivo – não são muitas as opções, mas a tábua de queijos vale a pena – vai precisar levantar da cadeira e disputar espaço entre os clientes para conseguir ser atendido. E nada de cartão de crédito, ali você paga na hora, em cash, ou melhor, em euros. Ah, mas como em qualquer lugar da Europa onde se é atendido no balcão, também não é preciso pagar o serviço.

Depois desta descrição, você deve estar se perguntando qual é a graça de ir num lugar que fica lotado, onde você precisa correr atrás do cardápio e ainda é obrigado a levantar para comer. A graça é a cerveja, claro! Para quem aprecia a bebida, o bar se torna um verdadeiro pedaço do paraíso, onde é possível degustar desde as lagers mais comuns até as deliciosas lambics, como a Kriek e a Premium Faro, além das famosas trapistes belgas. O interessante é que cada uma tem seu copo específico e, assim como na Alemanha, nenhuma é estupidamente gelada.

Além das marcas belgas, o cardápio inclui produtos de outros 78 países. O maior contingente é o francês, que divide os tipos de cerveja pelas diferentes regiões do país. Mas quem quiser também pode degustar marcas de lugares como Congo, Tanzânia e Mongólia. Vale provar algumas, claro, mas estando na Bélgica, aproveite para beber as marcas nacionais – que são tão caras aqui no Brasil – como a Délirium Tremens, que chegou a ser considerada a melhor cerveja do mundo em 1998, ou a Blanche de Watou, de trigo. Só não esqueça de pedir água de vez em quando para não sair de lá trocando as pernas.

Délirium Café: Impasse de la Fidelité, 44- 1000, Bruxelas. Tel. +32 25144434/ http://www.deliriumcafe.be

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/boa-viagem/bar-em-bruxelas-serve-mais-de-2-mil-cervejas-para-delirar-3062027#ixzz2TYNN4eaq
© 1996 – 2013. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

48 horas em Lisboa: coisas imperdíveis para ver e fazer

lol

Portugal e sua capital merecem bem mais que dois dias de visitas, claro. Mas 48 horas bem gastas em Lisboa vão tornar suas férias inesquecíveis. Ensolarada, acolhedora, histórica e moderna ao mesmo tempo é, com certeza, um destinos mais bonitos da Europa. A blogueira convidada Roseli Andrion tem dicas de coisas imperdíveis para ver e fazer emn Lisboa em dois dias.

Lisboa panorama 48 horas em Lisboa: coisas imperdíveis para ver e fazer

Descontraída: é assim que Lisboa pode ser descrita. Espalhada por sete colinas acidentadas, a cidade pode ser tomada por belos prédios de seu apogeu dos século 14 e 15, mas a Lisboa de hoje é também uma capital moderna e cosmopolita, com uma agitada vida noturna. Da vista para o Rio Tejo até os antigos prédios coloridos nas ruas do Bairro Alto, a beleza da cidade são apenas alguns dos truques quee Lisboa tem na manga …

1º Dia

Lisboa  Castelo de Sao Jorge1 48 horas em Lisboa: coisas imperdíveis para ver e fazer

Salve Jorge: Comece seu dia no Castelo de São Jorge. Localizado numa das colinas mais altas de Lisboa, esta fortaleza pode ser vista de praticamente qualquer lugar no centro histórico da cidade. As vistas magníficas do topo são a introdução perfeita para a cidade e as muralhas do castelo datam de antes mesmo da cidade ter nascido. Antes habitado por romanos, visigodos (alemães) e mouros (árabes), o castelo foi fortemente modificado ao longo dos anos, e desde o século 12, se tornou o lar para a Família Real Portuguesa.Ingresso: €7

Explore a Alfama: O bairro de Alfama fica logo abaixo do castelo. Perca-se na teia de ruas estreitas e becos medievais, e você será recompensado com praças escondidas e igrejas antigas, tascos (cafés/tabernas com comida barata) e casas rústicas pintadas de branco com suas varandas cheias de vasos de flores. Este antigo bairro judeu é um dos mais antigos da cidade (muitos dos moradores viveram aqui a vida toda), e fica a sensação de que se está em uma aldeia dentro da cidade.

Lisbon Electrico 48 horas em Lisboa: coisas imperdíveis para ver e fazerDe bonde até a Baixa: Se você cansar vagando por Alfama, o bonde (eléctrico) é uma ótima maneira de se locomover. O agradável passeio no bondinho amarelo irá levá-lo por entre as ruas arborizadas para a parte inferior do centro histórico da cidade, a Baixa. O coração histórico de Lisboa foi, na verdade, construído sobre as ruínas da cidade medieval após o terramoto de 1755. Mas nem tudo foi perdido – os edifícios do século 18 que surgiram em seu lugar estão repletos de pequenas lojas e interessantes cafés do velho mundo. Ainda hoje você pode ver os degraus do palácio na Praça do Comércio e a igreja mais antiga de Lisboa, a Igreja de São Domingos, pouco visitada pelos turistas. Explore bem as lojas das ruas comerciais da Baixa e garanta suas lembrancinhas.

Noite de Fado: O Fado é parte distinta da cultura lisboeta, com suas músicas melancólicas e letras inspiradas por marinheiros portugueses e a herança árabe da cidade. Jantar em umaCasa de Fado é um programa obrigatório em Lisboa, e uma chance de experimentar a culinária, os vinhos e a cultura local. Uma das opções mais populares é o Clube de Fado, onde cantores e músicos se apresentam enquanto você janta. Não é à toa que é frequentado por nomes ilustres, como Woody Allen, Isabel Allende e Caetano Veloso. Rua S. João da Praça 94.

Lisboa Travellers House 48 horas em Lisboa: coisas imperdíveis para ver e fazer

Durma num albergue em alto estilo: Lisboa é reconhecida pela alta qualidade de sua rede de albergues, entre os melhores do mundo. Quartos privativos e decoração artística costumam ser o padrão. O Travellers House está localizado na Rua Augusta, uma das mais conhecidas da cidade, bem no centro. O prédio de 250 anos foi renovado e transformado num albergue super cool, com uma sala de música, sala de cinema e um vasto café-da-manhã. Veja mais albergues em Lisboa.

2º Dia

Manhã em Belém: O distrito de Belém é um testemunho da cidade da Época do Descobrimento, quando grandes exploradores portugueses partiram em viagem ao redor do mundo. Durante este período, as riquezas do império abundavam e resultaram em alguns dos maiores monumentos já construídos na cidade. Belém é o melhor lugar para mergulhar na grandeza da realeza, com palácios, casas tradicionais e alguns dos melhores museus de Lisboa.

Lisboa Mosteiro Jeronimos1 48 horas em Lisboa: coisas imperdíveis para ver e fazer

Comece pelo Mosteiro dos Jerónimos, que data do início do século 16. Este belo monastério exibe o melhor do estilo arquitetônico Manuelino, mas como a maioria dos pontos turísticos de Belém, fecha para visitação às segundas-feiras (domingos e feriados até às 14h tem entrada gratuita).

Lisboa Torre Belem2 48 horas em Lisboa: coisas imperdíveis para ver e fazer

A seguir, vá para a margem do Tejo, até a Torre de Belém e o Padrão dos Descobrimentos. A Torre foi construída em 1515 para proteger a entrada do porto de Lisboa, enquanto  o admirável e moderno monumento dos Descobrimentos foi construído em 1960 para comemorar o 500º aniversário do príncipe Henrique, o Navegador. O ingresso individual para o Mosteiro custa €7; conjunto com a Torre de Belém custa €10; e os dois mais o Palácio da Ajuda custa €13.

Lisboa Pastel Belem 48 horas em Lisboa: coisas imperdíveis para ver e fazerDoce deleite: O pastel de Belém é um must em Lisboa – estas tortas de nata polvilhadas com açúcar e canela são uma das mais célebres especialidades portuguesas, desde o século 19. A Casa Pastéis de Belém (a confeitaria onde eles foram inventados) foi fundada em 1837 na Rua de Belém, e suas paredes de azulejos ecoam a tradição portuguesa. Se não houver mesas disponíveis, vale a pena esperarar um pouquinho: o serviço e o ambiente, além das especiarias, fazem a diferença.

Lisboa Elevador Santa Justa1 48 horas em Lisboa: coisas imperdíveis para ver e fazerSubindo a ladeira: Lisboa é bastante montanhosa, o que pode cansar no fim de uma manhã de passeios. Felizmente há uma maneira mais fácil de chegar à parte “superior” da cidade. Volte para o centro da cidade até o Elevador de Santa Justa, na Rua Santa Justa. Construído em 1900, cobre uma distância de aproximadamente 45 metros entre o bairro inferior e superior. Na plataforma superior, o Bairro Alto oferece o que tem de melhor na cultura portuguesa.O bilhete custa €5 ida-e-volta, incluindo acesso ao Miradouro.

Uma noite no Bairro Alto: Bairro Alto é onde a boemia se encontra, com artistas e escritores pelos cafés, ruas coloridas de graffiti nas paredes, lojas da moda e bares descolados. As ruas do século 16 podem ser calmas durante o dia, mas ganham outra cara com a mais conhecida vida noturna de Lisboa. Não faltam boas opções de bares e restaurantes legais na área – não deixe de pedir uma “ginjinha”, o licor local feita da ginja (espécie de cereja ácida, também conhecida como amarena).

fonte

Lotjina

----------- l'olandesina ----------------

Viaje com Pam Pam

USA, Navio e agora Londres! Entra nessa e viaje com Pam Pam!!!

Fabricio Zillig

Webstandards, Programação, Lógica e algumas coisas mais

Nossocorretor

REDE IMOBILIÁRIA - (91) 8213-6173 (91) 8739-5028

Hywel's Big Log

If not the biggest, definitely the worst

UKstudy Brasil Blog

Ajuda grátis para intercambio no exterior

ZHP

blog//portfolio • Henrique Pimentel

Cerveja com Ogros

www.cervejacomogros.com.br

Oficina da Crônica

O curso tem como proposta metodológica a produção de crônicas em todas as aulas a partir do estudo linguístico e histórico do gênero. Os alunos terão contato com os principais autores brasileiros desde o século XIX e estudarão os diversos estilos, além das técnicas específicas. Faremos análise de ritmo, sonoridade, uso de metáforas, clichês, construção de personagem, revisão de fair diver e outras características desse tipo de narrativa.

Ohm The Road

Documentário. Road Movie. India, Himalaya, Nepal.

ATELIER c157

- ART & PHOTOGRAPHY -

Lesfar Inmors, ORKUT!

Just another WordPress.com weblog

Fabricio dos Santos Weblog

Portifólio Online - Acadêmico / Profissional - Weblog

Sol da Meia Noite

Just another WordPress.com weblog

Bathoryland Music Store

Just another WordPress.com weblog

Vampireland

Just another WordPress.com weblog

English For Us - By Márcia Barbosa

Just another WordPress.com weblog

Blog da Bella

Just another WordPress.com weblog

%d bloggers like this: